Voltar aos resultados da pesquisa

Peppermint Energy

Impressão 3D ajuda nova empresa a fornecer energia em qualquer lugar

"Somente quando você consegue vê-lo fisicamente é que compreende que a forma e a função devem ser as mesmas."
— Brian Gramm, Peppermint Energy

Ideia brilhante

Guy tocando uma guitarra alimentada por um gerador de energia solar Peppermint Energy

Algumas vezes, um novo caminho se torna claro quando você percebe as armadilhas do antigo. Brian Gramm estava pesquisando formas de energia renovável em grande escala, estilo fazendas eólicas, quando percebeu uma abordagem totalmente nova. Em vez de tentar fazer com que a energia ecológica parecesse com as antigas redes elétricas com grandes usinas, por que não gerar energia diretamente onde ela é usada e deixar que os clientes tenham suas próprias usinas em miniatura que podem ser levadas para qualquer lugar?

"Há situações em que a energia solar em grande escala é adequada, como em prédios de escritórios. Mas as coisas que a maioria de nós usamos diariamente com mais frequência não necessitam de tanta energia", disse Gramm. Ele é cofundador da Peppermint Energy, uma empresa de Dakota do Sul que produz um gerador solar portátil e plug-and-play chamado FORTY2. Como se fosse uma usina solar em uma maleta, o FORTY2 captura energia suficiente do sol para alimentar luzes, laptops e até mesmo um frigobar. Uma bateria armazena eletricidade e a fornece após o anoitecer.

Inspiração para distribuição

Gerador de energia solar Peppermint Energy em um campo

O FORTY2 mudou muito entre a ideia e a produção. Inicialmente, Gramm achou que o dispositivo seria mais atraente para clientes norte-americanos: aventureiros e campistas em busca de diversão fora da grade. Mas os especialistas ficaram mais empolgados com o que o FORTY2 poderia fazer no mundo em desenvolvimento, onde três bilhões de pessoas convivem com a falta de eletricidade confiável. Se o dispositivo da Peppermint pudesse fornecer energia para trabalho e estudo após o pôr do sol, equipamentos de emergência e refrigeradores para armazenamento de penicilina, ele seria capaz de salvar vidas.

Pense nisso: remédios salvadores de vidas poderiam chegar a lugares até então impossíveis. O dispositivo também poderia estimular o comércio em áreas remotas à medida que empreendedores encontrassem formas de monetizar energia confiável gratuita.

Para poder fazer tudo isso, Gramm determinou que o FORTY2 tinha que ser robusto. Em um tamanho portátil, fornecer os picos de energia necessários pelos sistemas de refrigeração era um grande desafio de engenharia. Gramm então esforçou-se para reunir os talentos, recursos e relacionamentos necessários para colocar sua visão em andamento. "Honestamente, tudo que eu tinha naquele ponto era uma ideia e uma imagem", disse.

Após os engenheiros fazerem o possível em CAD, a Peppermint precisava de um protótipo físico. "Era difícil para todos, inclusive eu, avaliar de verdade o tamanho e a escala quando você está olhando para ele na tela", disse Gramm. Com 1 metro de largura e pesando quase 30 kg, o FORTY2 precisava de um gabinete extremamente robusto, complexo e forte o suficiente para acomodar todos os seus componentes. A tecnologia Fused Deposition Modeling™ (FDM®) era o único método de impressão 3D capaz de oferecer o que era necessário.

O primeiro protótipo em tamanho natural, criado em um sistema de produção Fortus® 3D, revelou algumas das considerações de design que levaram à sensacional simplicidade de operação do FORTY2. "Somente quando você consegue vê-lo fisicamente é que compreende que a forma e a função devem ser as mesmas", disse Gramm. Por exemplo, não é necessário um botão liga/desliga. Basta abrir o FORTY2 para ligá-lo. A equipe da Peppermint também decidiu tornar os dispositivos ainda menores após perceber que transportar o primeiro protótipo não era muito simples. Gramm afirma que, se ele tivesse que fazer tudo de novo, usaria a impressão 3D ainda mais cedo no processo.

Modelando relacionamentos

Um protótipo impresso em 3D feito em plástico ABS forte Surpreendentemente, os protótipos ajudaram a criar outro elemento essencial para o sucesso: relacionamentos. "Já tentou pedir a um fornecedor para 'Fazer algo personalizado que trabalha em conjunto com um monte de outras coisas que não posso mostrar?'", disse o presidente da Peppermint Chris Maxwell. Os protótipos em tamanho real facilitaram as discussões com fabricantes e fornecedores de componentes. E, o melhor de tudo: Maxwell disse que uma vez que o projeto tornou-se algo tangível, investidores em potencial sentiram que estavam entrando em um negócio, e não apenas em ideias. Alguns até mesmo levara o protótipo para casa no fim de semana.

Em uma segunda interação, a equipe descobriu uma falha de 1/4 no design do FORTY2, o que Gramm disse que teria passado despercebido no CAD. Além disso, a poderosa bateria necessária para uso em refrigeração tornou necessário o redimensionamento de outros componentes. "Pudemos fazer alterações que eu diria que nos economizaram pelo menos um quarto de milhão de dólares em usinagem", disse Gramm. Devido aos dois protótipos FDM, a equipe se comprometeu com a produção com confiança, e não esperança.

Stratasys Ltd. © 2015. All rights reserved. See stratasys.com/legal for trademark information.